Fazendo arte com a alma

Fazendo arte com a alma

domingo, 15 de abril de 2012

Dicas para parar de fumar

Boa tarde,
hoje eu venho dividir com vocês, o que tenho passado nesses últimos dias.
A 4 dias decidi parar de fumar, e não está sendo muito fácil, mas não é impossível, sei que existem muitas pessoas que fumam, mas que não são felizes com essa situação, no meu caso, me sentia mal pelo exemplo que estava dando aos meus filhos, pelo mal que o cigarro causa a minha saúde, pelo mal cheiro que fica impregnado em tudo, enfim,os males não são poucos e parar é com certeza a melhor opção.
Aqui vão algumas dicas para ajudar a quem quer seguir o melhor caminho.


ENVIANDO SINAIS NA FUMAÇA

© Dr. Alessandro Loiola
A Nicotina é uma das drogas mais poderosas e destrutivas da sociedade moderna. Está disponível em inúmeros pontos de venda, pode ser comprada livremente (até mesmo por crianças) e sua posse em grandes quantidades não caracteriza tráfico.
Estudos recentes calculam que 20% das mortes em adultos decorrem de complicações associadas ao tabagismo, mas é desnecessário continuar ilustrando os malefícios do cigarro. Todo mundo está cansado de receber este tipo de informação. O que eu tenho visto pouco por aí é COMO fazer para parar de fumar. Por isso, reuni cinco passos simples para você abandonar de vez este vício.
PAPEL E CANETA NA MÃO: FAÇA SUA LISTA DOS NOBRES MOTIVOS.
É por causa da sua saúde? Quer reassumir o controle sobre sua vida? Você pensa em ser um exemplo para suas crianças? Quaisquer que forem suas razões, escreva-as de modo claro e objetivo. Esta será sua lista de Nobres Motivos. Cole-a na porta da geladeira com um ímã, consultando-a várias vezes ao dia.
Uma alternativa: compre algumas latas de spray de diferentes cores e utilize-as para escrever na sua casa um por um todos os motivos que lhe levaram a tomar a decisão de parar de fumar. Acredite: os grafites nas paredes da sua sala não são nada se comparados ao estrago que cada novo cigarro fará aos seus pulmões.
ACORDE: PARAR DE FUMAR É PARAR DE FUMAR.
Dados da American Cancer Society mostram que mais de 90% de todos os ex-tabagistas pararam por conta própria, sem acupuntura, antidepressivos, adesivos ou chicletes de nicotina. Simplesmente decidiram. E pararam.
Não se engane com a conversa de que você começou a reduzir o número de cigarros, está parando pouco a pouco e que isto demonstra seu controle sobre o vício. Na verdade, isto demonstra, sim, o total controle do Vício sobre você, e provavelmente logo você estará fumando a mesma quantidade de antes.
Parar de fumar é um daqueles desafios onde obter 99% de sucesso significa 100% de fracasso. É uma situação de “8 ou 80”. Você tem se manter completamente livre do cigarro, ou não estará livre de forma alguma.
SEGURE FIRME: A RAPADURA É DOCE MAS NÃO É MOLE.

Segundo padrões internacionais de Saúde Mental, 15% dos usuários regulares de cocaína são considerados “viciados”. Em contrapartida, utilizando os mesmos critérios, 90% dos adultos e 87% dos jovens que fumam pelo menos uma vez ao dia preenchem a classificação de Vício. Sim, não será fácil largar o cigarro. Mas isso não significa que seja impossível. Metade dos adultos que tentam, conseguem.
As primeiras 72h são as mais críticas e, ao final do terceiro dia, você poderá estar experimentando uma crise de abstinência a cada 2-4 horas. Felizmente, 72h após o último cigarro, mais de 90% de toda a nicotina acumulada em seu corpo terá sido eliminada, e os sintomas da abstinência diminuirão bastante. Por volta do décimo dia sem cigarro, as crises de abstinência se tornarão quase imperceptíveis.
A parte boa do sacrifício: 90 dias após parar de fumar, sua capacidade pulmonar terá aumentado 30%! Atletas trabalham a vida inteira para conseguir resultados que são uma mínima fração disso. Após 10 anos sem cigarro, o risco de você morrer por câncer nos pulmões é praticamente o mesmo da população em geral. Adicione isto à sua lista de Nobre Motivos.
AJUSTE O RUMO.
Sabe aquele “ahhhh” que o fumante solta após uma baforada? Aquilo não é o “estresse” indo embora. É a nicotina aliviando a sensação de abstinência causada pelos baixos níveis sangüíneos de nicotina. Entenda: o corpo não quer o cigarro. Ele quer a nicotina que está dentro do cigarro, assim como o viciado em heroína não quer a seringa, mas a droga que está dentro da seringa.
Ao interromper o fornecimento de nicotina para o corpo, o organismo envia seu abaixo assinado de reclamações na forma de irritabilidade, ansiedade, insônia, tremores, fadiga, dores de cabeça, tosse, sensação de garganta seca, constipação intestinal, azia, gastrite e coriza.
Nos primeiros dias, você poderá experimentar ainda dificuldade de concentração e raciocínio. O motivo é simples: a nicotina ocupa certos receptores nervosos que regulam as concentrações de glicose no cérebro. Com a falta da nicotina, o corpo tem deve reaprender como fazer estes ajustes, e isto pode levar alguns dias. Um modo simples de aliviar os sintomas mentais é abusar dos sucos de frutas naturais nas primeiras semanas e nunca, jamais, pular as refeições.
O controle da Abstinência deve ser completado com atividades capazes de lhe distrair durante as crises. Algumas dicas: lave o carro ou leve-o para calibrar os pneus, dê uma esticada no cinema, passe um tempo com seus filhos, brinque com cachorro, leia um livro, saia para uma caminhada, monte um quebra-cabeças, tire uma soneca, telefone para um amigo, mexa no jardim, escove os dentes, cante alto pela casa, respire fundo e lentamente, lave a louça, organize seus CDs, navegue pela Internet, contemple o pôr-do-sol, pinte o cabelo, doe sangue, beba um copo de água com gelo, leia sua lista de Nobres Motivos.
Apesar de serem incômodas, as crises duram apenas cerca de 3 a 5 minutos – aproximadamente o tempo que você levaria para fumar um cigarro -, e tendem a desaparecer após 7 a 14 dias. Além disso, a Abstinência é temporária. As lesões causadas pelo cigarro são para toda a vida.
MANTENHA SUA VELOCIDADE DE CRUZEIRO.
Evite consumir qualquer forma de bebida alcoólica, pelo menos durante os primeiros 3-6 meses. A bebida irá baixar sua capacidade de auto-crítica e aumentará o risco de relapso.
A memória é traiçoeira e você pode terminar esquecendo o que lhe levou a parar de fumar. Não deixe que isto aconteça: consulte diariamente sua lista de Nobres Motivos. Escreva uma nova quando a antiga estiver desbotando.
Finalmente, muitas rotinas inocentes do dia podem desencadear aquela vontade irresistível de fumar. Falar ao telefone, dirigir, tomar café, comer um bom almoço, discutir, trocar um pneu furado.... os sintomas de abstinência podem se insinuar onde você menos espera. Resista sempre e concentre-se em avançar 60 minutos por hora, 24 horas por dia, um dia de cada vez. Você consegue.
---
Dr. Alessandro Loiola é médico, escritor, palestrante, autor de “Vida e Saúde da Criança” e “Crianças em forma: saúde na balança” (www.editoranatureza.com.br) e colunista de Artigos.com, Saudevidaonline.com.br, Gazetaweb.globo.com, Portalamazonia.globo.com, Manausonline.com, Noticiasdahora.com e Folhadapraia.com, entre outros. Atualmente reside e clinica em Belo Horizonte, Minas Gerais.
____________________________
Q U E R P U B L I C A R ?
Informação livre. Os direitos permanecem com o autor.
MANTENHA O TEXTO E OS CRÉDITOS NA ÍNTEGRA.
Fonte: http://br.groups.yahoo.com/group/saudeparatodos
© Dr. Alessandro Loiola - e-Mail / MSN: alessandroloiola@yahoo.com.br

Escolha o melhor
Escolha viver...
Eu estou lutando e sei que posso me livrar desse mal.
Bjuuuuussssss da Madá

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são sempre bem vindos, pois me fortalecem e me ajudam a crescer.Dê a sua opinião, divida também suas experiencias, faça suas perguntas, enfim esse é o seu espaço. Solange Madá